NÃO SE DEVE ODIAR A ESQUERDA III

NÃO SE DEVE ODIAR A ESQUERDA III

“O ódio pode não ser um sentimento santo, mas é sério, por isso não pode ser desperdiçado com um esquerdopata”. João Melo e Sousa Bentivi

Nessa oportunidade vou tratar da audiência do ministro Moro no tal Senado Federal. Estará na série ”não se deve odiar a esquerda” porque os seus principais adversários, na inquisição, são da esquerda, misturados com PMDB e outros achincalhes.

Salvo engano, foram doze senadores adversários. Apesar de o ministro ter se oferecido para ir, o motivo é mais que prosaico: responder acusações oriundas de um fato criminoso, produzido em conluio com a esquerda bandalha.

De cara, se pudéssemos colocar a vida pregressa dos doze senadores adversários, até agora haveria senador sem sair das páginas do Código Penal. A rigor, caso a coisa fosse séria mesmo, essa turma da bandalha deveria se sentir constrangida em estar frente a frente com o ministro Moro.

Poderia dar muitos exemplos, mas um é mais que irretocável, definitivo: RENAN CALHEIROS.

Esse sujeito foi eleito pelo povo de Alagoas e, por isso, já se pode entender o porquê da pobreza alagoana. Mas os votos alagoanos lhe dão legitimidade. É duro encontrar algo legítimo em Renan Calheiros.

A cena, que poderia ser hilária, fez-me lembrar um episódio que caminha para cem anos, ocorrido nos Estados Unidos: a prisão de Al Capone.

Esse bandido, o mais famoso da história americana, sofreu a perseguição implacável do  detetive Eliott Ness. Foi condenado.

Alguém, com um mínimo de bom senso, imaginaria Al Capone inquirindo Eliott Ness? O que poderia Al Capone perguntar para Eliott Ness? Na pátria americana, essa hipótese só passaria na cabecinha de um brasileiro, como eu, acostumado com os desatinos de minha pátria.

Na pátria brasileira ela se dá à luz do dia, transmitida com som e imagem: o tal Renan, com quase duas dezenas de inquéritos criminais, inquiriu duramente o ministro Moro.

Um fato, no senhor Renana é elogiável: é um tremendo cara de pau e sem óleo de peroba para lustrar. Para rivalizar, nesse pormenor com ele, só um outro criminoso, trancafiado pelas bandas do Paraná, chamado Luiz Inácio.

Nas redes sociais dos esquerdopatas o tal Renan virou, mais uma vez, um ídolo. Nunca será sem razão a minha carinhosa afirmação: NÃO SE DEVE ODIAR A ESQUERDA, SE DEVE TER PENA, PIEDADA, DÓ E, PRINCIPALMENTE, NOJO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *