O STF É O FDP OU O FDP É O STF?

O STF É O FDP OU O FDP É O STF?

JOÃO MELO E SOUSA BENTIVI

Em meu lar, posto em sossego, de repente sinto náuseas exasperantes, procuro a causa, não encontro, mas, de repente, descubro: Dias Toffoli. Esse sujeito estava sendo entrevistado pela insuportável Miriam Leitão. Sim, era uma dose cavalar de indigestão para mim, pacato cidadão da terceira idade.

Nada que ele fala é credível, inclusive a sua investidura padece de todos os motivos para insatisfação. Advogado sofrível na qualidade de operador do Direito, consultor da CUT, assessor  comum na Câmara, reprovado duas vezes em concurso paulista para a magistratura, advogado do PT, assessor do facínora Zé Dirceu, e, de repente, pelas mãos de outro facínora, o Lula, chega ao STF.

Esse currículo, nas malhas do bom senso, obrigaria a qualquer cidadão de bom senso abdicar da indicação e fazer penitências, mas Dias Toffoli não é qualquer cidadão, e, muito menos, de bom senso. É Dias Toffoli e quem nasceu Dias Toffoli, morrerá Dias Toffoli, o diabo, porém, é esse Dias Toffoli presidir a mais alta corte de justiça dessa sofrida pátria. A pátria toffoliza!

Com ele na presidência o STF transformou-se no maior fábrica de insegurança jurídica da história: legisla, decide, faz o que quer, não dá bolas para a sociedade e culminou o desatino com o tal inquérito que pode investigar tudo, investigar todos, constranger a quem quer que seja e, pasmem, sem a anuência e participação do MP, instituir salvaguardas, medidas coercitivas e penas.

O discurso é cretinoso: defesa do STF. O STF não precisa de defesa, quando cumpre suas funções e atribuições com respeito e seriedade. As medidas foram tomadas em defesa de pessoas que temem ser investigadas, dentre elas o tal Toffoli e seu lugar-tenente Gilmar Mendes, incluindo pessoas de suas famílias.

Um alento nos resta, está chegando o momento da prova dos noves e da prova real: soltar o bandido Lula. O sonho tofoliano, acolitado certamente por outros ministros, é soltar o bandido e soltando o bandido master, o Lula, ficará fácil libertar os “minores”. É da regra do direito que quem pode o mais pode o menos.

O que não sei é o tamanho da reação da sociedade. Creio que não será de pouca monta e espero, se necessário, fazer parte dessa revolta, porém como fervoroso cristão, desejo que não ocorra uma revolta.

A Bíblia nos informa que houve um tal de bom ladrão, que na hora H do calvário, mudou de rumo. Tirando a palavra ladrão da metáfora, oro para que nasça desse Toffoli, um outro Toffoli, um bom Toffoli.

Ah! Lembrei-me do Elvis: The impossible dream?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *