CRIACIONISTA, SIM, GRAÇAS A DEUS.

CRIACIONISTA, SIM, GRAÇAS A DEUS

João Melo e Sousa Bentivi

“O mundo jaz no maligno” (1 Jo 5:19). Esse versículo é de uma atualidade exuberante. Há muito tenho defendido e apontado as incoerências bíblicas da maioria das bandeiras esquerdistas, inclusive postei uma sobre a ideia do ex-presidiário Lula, de fundar o PT Evangélico. Uma impossibilidade.

Há pouco mais uma pérola. A imprensa esquerdopata e contra Bolsonaro pegou pesado contra a indicação do senhor Benedito Guimarães Aguiar Neto, ex-reitor da Mackenzie, para dirigir a CAPES. O crime do rapaz: ser criacionista.

Essa acusação partindo de partidos bandidos soa como elogio. Ser criacionista, ainda que criacionismo fosse uma bobagem, comparado com os incontáveis ladrões da esquerda é nota dez em bom comportamento.

Mas criacionismo não é e nunca foi bobagem. Muito pelo contrário.

Em 30 anos de professor de Biologia em colégios e cursinhos do Maranhão e do Rio de Janeiro, ensinei milhares de vezes a teoria da evolução e, sempre, ao final das aulas, explicava que de tudo aquilo que ensinei eu não acreditava uma vírgula sequer.

Essa história de evolução começou em 1859, por meio de um sujeito chamado Charles Darwin e, até hoje, continua sendo TEORIA DA EVOLUÇÃO. Apesar de ser “teoria” tomou ares de verdade e tornou-se obrigatória nos currículos científicos e  didáticos.

O problema é que todas as provas evolucionistas carecem de certezas e são inundadas de dúvidas. As dúvidas se iniciam com a origem do universo, passando tantas como a inexistência de todos elos evolutivos e a maior de todas as dúvidas: como a perfeição da criação pode ser explicada por acontecimentos casuais, como mutações aleatórias? Impossível.

Quanto ao criacionismo, no qual me vinculo de maneira absoluta, não precisa provar nada, apesar de ser provado, até porque pressupõe a existência de um Deus Criador. Para nós, criacionistas, basta entender o EU SOU, do livro de Êxodo.

Como um homem das letras e das ciências, não sou fechado aos novos conceitos e conhecimentos e desafio a um evolucionista  qualquer, de qualquer parte do mundo, a provar, para mim, cientificamente, que a evolução ocorreu. É provar e eu troco de posição, evidente que ninguém, em todos esses anos, provou ou comprovou esse absurdo, que de ciência não tem nada.

Por último, o que tem a ver dirigir a CAPES e ser criacionista? Nada, coisa nenhuma. É o mesmo que correlacionar o fato de eu trocar trombone e ser criacionista.

Por fim, mesmo, uma palavra para aqueles que professam a fé cristã. Para crer que um dia Jesus voltará para buscar a sua Igreja, alguns pressupostos são obrigatórios, sob pena de você estar se enganando e enganando a outros.

Os pressupostos da verdadeira fé cristã, em resumo, são a crença em: Jardim do Éden, a queda do homem, Caim e Abel, o dilúvio, Torre de Babel, travessia do Mar Vermelho, o êxodo, terra prometida, nação israelita como povo de Deus, nascimento sobrenatural de Jesus, milagres, maravilhas, crucificação, remissão dos pecados, volta de Jesus aos céus, o aparecimento da Igreja de Cristo, os dons do Espírito, arrebatamento, etc. etc.

Quem crer nesses pressupostos nunca crerá em evolução. Caso tenha dúvidas de qualquer desses pressupostos, aconselho a ler Tiago 1: 5-7: “E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e não censura, e ser-lhe-á dada. Peça-a, porém, com fé, em nada duvidando, porque qualquer que duvida é semelhante a onda do mar, impelida e agitada pelo vento. Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa”.

Tenho dito!

ESQUERDOPATIA É DOENÇA INCURÁVEL?

ESQUERDOPATIA É DOENÇA INCURÁVEL?

João Melo e Sousa Bentivi

Quando falavam que esquerdopatia era enfermidade, achava exagero e sempre me posicionava contra, depois passei a observar com mais acuidade e os exemplos da patologia se multiplicaram à minha vista, de maneira tão evidente, que ficou impossível não reconhecer: é doença, grave, transmissível, perigosa e  os órgãos preferencialmente atingidos, são o coração  e o cérebro.

Tenho centenas de exemplos, mas ater-me-ei a um. Trata-se de um amigo médico, de longas datas, nos conhecemos a quase 50 anos, um homem comedido, calmo, tranquilo, educado, voz mansa, etc. Qualquer pessoa o colocaria na condição de monge, de santo, não fora o fato de suas aptidões com o sexo feminino.

Acrescente-se ser um humanista, médico sacerdote, cidadão honesto, bom pai de família, sensível às artes, às letras e a poesia.

Esse anjo não está bem. Esse anjo me preocupa. Esse anjo foi acometido por uma virose, um vírus diabólico oriundo do nordeste, levado para São Paulo, sofreu várias mutações deletérias e hoje a taxonomia o denomina de Lulis diabolicus marginalis.

Vamos ao caso. Postei no meu face uma comparação entre dois marginais brasileiros: o ex-goleiro do Flamengo, Bruno e o ex-presidiário Lula. Dizia, a respeito de um movimento que tenta impedir o Bruno de voltar a ganhar o pão de cada dia com o único trabalho que sabe fazer, que é jogar futebol, que o Bruno, apesar do feminicídio, tinha direito a trabalhar e tentar reconstruir a sua vida.

Essa minha postura não tem nenhuma aprovação ao condenável feminicídio, mas pura e simples posição de acordo com a lei e com a minha postura cristã. Ponto.

Dizia que não entendia que um corrupto, como Lula, ainda recebesse os afagos de mais de 20% dos brasileiros e afirmei que a corrupção petista e de aliados matou milhares de mulheres, de crianças, de idosos e matou, ainda, os sonhos de quase uma nação inteira.

Bruno e Lula são bandidos, mas um é bem pior que o outro.

O meu amigo, agora com esquerdopatia, partiu contra os meus argumentos e iniciou o diálogo com uma sonora PORRA. Respondi e depois fiquei lívido de arrependimento. Tenho certeza que as minhas respostas foram chuva no molhado, ou sebo em venta de gato, como se dizia na minha Pedreiras.

Entendo, com lágrimas nos olhos, que para o meu amigo voltar ao normal, o caminho não é nem a argumentação e nem a lógica. O doente esquerdopata assassina a lógica logo no período de incubação do vírus.

Para que volte ao normal a luta é espiritual: oração. Entendi e vou orar. Alguém vai me dizer que essa cura é impossível. Nada vai mudar a minha determinação: vou orar. Em Lc 1:37 está escrito: Pois  nada é impossível para Deus.

Digo eu: até a cura de esquerdopatas.

 

João Melo e Sousa Bentivi

Quando falavam que esquerdopatia era enfermidade, achava exagero e sempre me posicionava contra, depois passei a observar com mais acuidade e os exemplos da patologia se multiplicaram à minha vista, de maneira tão evidente, que ficou impossível não reconhecer: é doença, grave, transmissível, perigosa e  os órgãos preferencialmente atingidos, são o coração  e o cérebro.

Tenho centenas de exemplos, mas ater-me-ei a um. Trata-se de um amigo médico, de longas datas, nos conhecemos a quase 50 anos, um homem comedido, calmo, tranquilo, educado, voz mansa, etc. Qualquer pessoa o colocaria na condição de monge, de santo, não fora o fato de suas aptidões com o sexo feminino.

Acrescente-se ser um humanista, médico sacerdote, cidadão honesto, bom pai de família, sensível às artes, às letras e a poesia.

Esse anjo não está bem. Esse anjo me preocupa. Esse anjo foi acometido por uma virose, um vírus diabólico oriundo do nordeste, levado para São Paulo, sofreu várias mutações deletérias e hoje a taxonomia o denomina de Lulis diabolicus marginalis.

Vamos ao caso. Postei no meu face uma comparação entre dois marginais brasileiros: o ex-goleiro do Flamengo, Bruno e o ex-presidiário Lula. Dizia, a respeito de um movimento que tenta impedir o Bruno de voltar a ganhar o pão de cada dia com o único trabalho que sabe fazer, que é jogar futebol, que o Bruno, apesar do feminicídio, tinha direito a trabalhar e tentar reconstruir a sua vida.

Essa minha postura não tem nenhuma aprovação ao condenável feminicídio, mas pura e simples posição de acordo com a lei e com a minha postura cristã. Ponto.

Dizia que não entendia que um corrupto, como Lula, ainda recebesse os afagos de mais de 20% dos brasileiros e afirmei que a corrupção petista e de aliados matou milhares de mulheres, de crianças, de idosos e matou, ainda, os sonhos de quase uma nação inteira.

Bruno e Lula são bandidos, mas um é bem pior que o outro.

O meu amigo, agora com esquerdopatia, partiu contra os meus argumentos e iniciou o diálogo com uma sonora PORRA. Respondi e depois fiquei lívido de arrependimento. Tenho certeza que as minhas respostas foram chuva no molhado, ou sebo em venta de gato, como se dizia na minha Pedreiras.

Entendo, com lágrimas nos olhos, que para o meu amigo voltar ao normal, o caminho não é nem a argumentação e nem a lógica. O doente esquerdopata assassina a lógica logo no período de incubação do vírus.

Para que volte ao normal a luta é espiritual: oração. Entendi e vou orar. Alguém vai me dizer que essa cura é impossível. Nada vai mudar a minha determinação: vou orar. Em Lc 1:37 está escrito: Pois  nada é impossível para Deus.

Digo eu: até a cura de esquerdopatas.

 

SE LULA FOSSE JAPONÊS?

SE LULA FOSSE JAPONÊS?

João Melo e Sousa Bentivi

O episódio do senhor Carlos Ghosn, francês, libanês e brasileiro é uma bela lição para o povo brasileiro. São muitas verdades e a maior delas é a diferença gritante entre Brasil e Japão. Não falo de diferenças geográficas, mas de comportamento dos seus povos. Por exemplo, bandido não tem vida boa no Japão, a taxa de condenação de corrupto é quase 100%, já no Brasil, com a ajuda do tal STF, bandido rico vira sinal de impunidade.

Imaginem que o Brasil se tornasse Japão e alguém imaginaria que Toffoli, Lewandovsky e Gilmar Mendes seriam juízes da suprema corte? Pensariam que um Rodrigo Maia e um Alcolumbre teriam vaga para dirigir parlamentos? Renan Calheiros seria um senador japonês? Evidente que essas pessoas são subprodutos da nossa carência moral.

Mas ninguém representa mais a nossa lastimável situação que esse indivíduo chamado Lula, que denomino Lulaíma (herói sem nenhum caráter). Caso fosse japonês inexistiria um japonês sequer para dizer essa baboseira de LULA LIVRE. No Brasil, há milhões.

É preciso ser um esculacho de nação para  um chefe de quadrilha ter seguidores. Seguidor de quadrilheiro, admirador de marginais não rima com pessoas decentes, séria e honestas, rima com aspirante a marginal.

Lulaíma (herói sem nenhum caráter) não poderia ser japonês, decerto, pois além de não ter nenhum admirador na pátria nipônica, teria realizado o harakiri, morte por desonra.

Mas está vivo, não é japonês,  é brasileiro e vive no Brasil, tem chance do STF inocentá-lo e até ser, de novo candidato e, pior  ainda, eleito.

Caso alguém queira saber o porquê do Brasil não ter dado certo, não perca tempo:  o problema do Brasil é o brasileiro.

Tenho dito.

O PT EVANGÉLICO

O PT EVANGÉLICO

João Melo e Sousa Bentivi

Quando você pensa que o Lulaíma (o Macunaíma sem nenhum caráter) tinha encerrado a sua saga, se enganou completamente. É um tarado do mal.

Incomodado com a projeção do Bolsonaro junto ao eleitorado evangélico, Lulaíma saiu com essa pérola: fundar o PT Evangélico. De cara, dentro das concepções religiosas e não bíblicas, não gostei, mas, depois, pensando em Jesus e em seu sacrifício remidor, entendi que algo poderia ser aproveitado na esdrúxula ideia.

Já ouvi preciosidades como: um crente em Jesus não pode ser petista. O que não é a mesma coisa que um petista se transformar em um crente. No primeiro caso, o tal crente teria dificuldades em defender temas bíblicos em uma reunião da CUT, por exemplo, na segunda hipótese se abriria uma grande chance de mudança de partido.

Voltemos a pensar no PTE – PT EVANGÉLICO. Seria um grupo de evangélicos petistas que resolveram se abrigar em um ambiente mais espiritual ou uma brigada petista destinada a cooptar crentes desavisados ou com outros interesses? Esse PTE teria interesse no anúncio da verdadeira palavra de Deus, ou somente uma armadilha para se contrapor ao Bolsonaro, nas vias eleitorais?

Vou ajudar o PT e o Lulaíma (herói sem nenhum caráter). Não tentem fazer o PTE pregando ideologias durantes os cultos, pois a maior parte dos crentes não gosta disso. Não tentem abordar os irmãos com as palavras de gírias próprias da esquerda, tampouco com roupas não condizentes com os usos e costumes dos crentes.

Não tendem  fazer pregação antes de aprender as manhas dos discursos dos evangélicos, essa coisa de “espaço de fala”, “empoderamento”, por exemplo, não faz parte da linguagem dos crentes.

Vou facilitar a vida do PTE, a chance de vocês darem certo é mentir mais do que vocês normalmente mentem. Vocês não creem, mas mintam e digam que a verdadeira família está na Bíblia, que os gêneros (nada a ver com opção sexual) são somente dois, que pai e mãe devem ser respeitados, que meninos e meninas são diferentes, devem obedecer e se não obedecerem a Bíblia manda corrigir.

Mintam muito (pois vocês não acreditam, mas mentem com arte) e afirmem que existiu Adão e Eva, que houve Jardim do Éden, que Torre de Babel, Sodoma e Gomorra existiram. Mintam mais (pois vocês não acreditam) e afirmem que o Exodo dependeu da mão divina, que Abraão é o verdadeiro pai da nação israelita, que Jesus só é Salvador porque veio de uma virgem, conforme a Bíblia, que morreu por nossos pecados, ressuscitou dentre os mortos, voltou aos céus e voltará para buscar a sua Igreja.

Mando vocês mentirem por um motivo santo. Quem sabe, num descuido, entre uma mentira e outra, vocês possam ser alcançados pelo evangelho. São Paulo diz que a fé vem pelo ouvir da palavra de Deus, mesmo mentindo, se vocês estiverem falando a palavra de Deus, poderiam se converter e formar um verdadeiro PTE, evidente que, se esse PTE for verdadeiro, for cristão, não restará espaço de convivência com o PT PT do mensalão, do petróleo, que é o verdadeiro PT do Lulaíma (herói sem nenhum caráter).

Mas pode haver um PTE sem mentira? Pode e já existe. A melhor receita para o PT e outros partidos asseclas das esquerdas penetrarem no meio dos crentes é comprando lideranças evangélicas corrompidas na sua fé. Aliás, lideranças evangélicas corrompidas podem ser compradas pela direita, pela esquerda, pelo centro e por qualquer lado.

A moeda de compra é variada e múltipla, vai desde o vil metal, até condecorações e outras benesses. Pode ser mandato eletivo corrupto, nas tetas do erário, ou cargos anômalos como secretários, diretores ou capelães.

Toda vez que alguém quer e pode comprar e o outro alguém quer se vender, tudo fica mais fácil. O ruim para essa turma que envereda na facilidade de se vender é esquecer que a caminhada santa passa por um tal caminho estreito. É um caminho difícil, sem vendilhões, mas leva ao céu.

“Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz a perdição, e muitos são os que entram por ela; e porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida e poucos há que a encontrem”(Mt 7:13-14)

DE VOLTA AO PAI

DE VOLTA AO PAI

João Melo e Sousa Bentivi

“… mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás, pois no dia em que dela comeres, certamente morrerás”. (Gn 2:17)

“Que homem há que viva e não veja a morte, ou que livre a sua alma do poder da sepultura?” (Sl 89:48)

“Assim que o homem começa a viver, tem idade suficiente para morrer”. (Heidegger)

Passando dos 60 anos creio ter uma visão de conjunto bem extensa da vida: da por mim vivida e das vidas por mim presenciadas. Posso dizer que ninguém é o mesmo, a cada dia somos outra pessoa, até assumirmos a condição final de defunto.

Incontáveis diferenças poderia apontar, ater-me-ei a uma comparação pontual da adolescência  com a tal terceira idade. A festa mais comum na adolescência eram os aniversários de 15 anos, mas a efeméride mais frequente na terceira idade são os velórios.

Convivo com vários grupos de idosos masculinos, conversas inteligentes, espirituosas, plêiade de mentirosos na esfera da sexualidade e um papo natural: fulano está hospitalizado ou sicrano faleceu. O diabo é que hospital, nessa faixa etária, rima firmemente como uma canção para dona Lucrécia.

Nesse diapasão, pelo aumento da longevidade, os que nos deixam na faixa dos 60 anos recebem a adjetivação de terem ido cedo demais, como se tantos anos fossem, de fato, precocidade. Entendo isso como uma maneira mentirosa de se acharem jovens, mesmo após os 60 anos.

Uma questão suplementar acontece. À medida que o tempo passa o número de contemporâneos rareia e, de repente, você não tem mais a festa do funeral: todos se foram.

Na minha casa tenho um exemplo vivo. A minha sogra, uma bênção em nossas vidas, teve todos os seus contemporâneos familiares chamados pelo Criador. Às vezes encontro-a pensativa e fico a imaginar se é saudade dos que se foram ou vontade de acompanhá-los. Não sei, felizmente o sorriso voltou a reinar com a presença diária de uma bisneta. Extremos da vida em harmonia significa certeza de alegria. Mais uma lição.

A marcha da vida é inexorável e como um filósofo da Bioética, raciocino e ensino que morte e vida são a mesma face do inexplicável e do indefinível.

Hoje lamentamos pela ida de Rita Palhano, como Rita lamentou pela ida de tantos. Amanhã lamentaremos pela ida de outros, até o dia que outros lamentarão por nós.

Não deve haver lugar para o desespero por algo que não podemos alterar, por isso advogo a fé, ainda que fé eu não tivesse. A fé, nesse momento, é o grande aval da eternidade.

Guardemos a fé.

POR ONDE DIABOS ANDA GRETA?

POR ONDE DIABOS ANDA GRETA?

João Melo e Sousa Bentivi

Não há ninguém minimamente informado que desconheça aquela garota sueca, “injustamente” tratada de pirralha, que defende de dinossauro a bactérias, passando de raspão pelos homens, chamada Greta.

Para os que não a conhecem faço uma pequena descrição da jovem cidadã: trata-se de uma jovem bem nascida, vacinada exemplarmente, que teve todas as suas vontades realizadas, que pode escolher em percorrer o mundo de avião, bicicleta, carro ou qualquer outra coisa, como um moderno veleiro, impulsionado por energia solar.

Eu que até a juventude só pude ter bicicleta, fico com uma ponta disfarçada de ciúme. Coisa boba. Mas voltemos a nossa jovem, “injustamente” dita pirralha. Nunca soube o que é fome, inclusive só come orgânicos, com cardápio orientado por nutricionistas e a cada suspiro, as redes sociais, com milhões de seguidores se emocionam, passa o dia inteiro postando e respondendo, aliás, tem uma assessoria enorme para auxiliá-la. Pode-se dizer que essa cidadã, “injustamente” denominada pirralha é um mar de felicidade.

Aí a questão não é tão simples. Essa cidadã, “injustamente” denominada de pirralha, é uma péssima aluna, a caderneta escolar está repleta de falta, em qualquer escola séria estaria reprovada por falta. É denominada ambientalista, mas entende tanto de meio ambiente, quanto o papa Francisco do mister de fazer menino.

Enquanto o Gonzaguinha cantou a alegria das crianças, essa cidadã, “injustamente” chamada de pirralha, nunca se viu com um simples sorriso no rosto, que, a bem da verdade, de beleza só tem a juventude, mas de tristeza é um oceano.

As palavras dos jovens, acostumamo-nos por serem fáceis, cândidas e suaves, a tal cidadã fala crispada, dura, fria e irritada. Aqui, na linha do Equador, faço uma futurologia: quem será o companheiro ou companheira que vai desfrutar por, imaginemos, 30 anos, de tão agradável companhia? Deve ser de lascar conviver com bombom de alho por muito tempo.

Uma preocupação tem me incomodado: a tal Greta não deve estar bem de saúde, quem sabe, afásica. Bastou queimar a Amazônia e Bolsonaro pegou logo uma cacetada, entrementes a Austrália está queimando há mais de 3 meses e a moça está suturna.  Não abre a bendita ou maldita rima labial a respeito.

Será que canguru, coalas e outros marsupiais não merecem a mesma proteção, que as nossas guaribas? Ou Bolsonaro precisaria ser o primeiro ministro da Austrália para um grande mimimi internacional?

Volto ao Gênesis, para me lembrar da primeira indagação da história: Adão, onde estás? Estava escondido. Greta, onde estás? Quem sabe, voltou a frequentar a escola, de onde nunca deveria ter se ausentado. Deveria aproveitar para aprender com mais profundidade a problemática ambiental.