DIRETAS JÁ

DIRETAS JÁ

Essa palavra de ordem já foi música para os meus ouvidos e bálsamo para o meu coração coração. Bastava três pessoas juntas e se ouvia o “diretas já”. Não era sem razão.

No meu caso, o golpe militar me pegou aos onze anos de idade e vim dar o meu primeiro voto para presidente aos trinta e sete anos. Será que eu não tinha motivos sérios para desejar “diretas já”?

Desde o impedimento da senhora Dilma, tenho ouvido essa cantilena de “fora Temer” e “diretas já”. Antes que seja tarde, informo a gregos e troianos, que não tenho a menor simpatia com Temer e PMDB. O fato de achar o PT um descalabro, uma quadilha, um desastre, não me obriga a torcer nem por Temer e nem pelo PSDB, por exemplo.

E convém frisar que, nesses partidos citados, existem algumas pessoas de bem. Nada demais, é a exceção que confirma a regra: partidos bandidos e de bandidos!

Voltemos para a realidade. A situação já era o caos e, depois da delação dos donos da JBS, o caos anterior virou, pelo menos, purgatório: tostava, mas não queimava. Agora queima.

Como era de se esperar, recrudesceu o barulho do “diretas já”. Não é sem razão e nada é inocente.

Os esquerdopatas agem como se nessa última delação só existisse o Temer. Não caras pálidas. O PT está enfiado até o gogó na bandalheira e somente o Mantega deverá explicar muita coisa e nessas muitas coisas se encontram Dilma e Lula.

“Diretas já” pode receber várias nomenclaturas, mas nenhuma mais apropriada que GOLPE, repito, GOLPE. Não há a menor possibilidade de “diretas já” dentro da normalidade democrática e tudo que fugir da normalidade democrática é GOLPE.

Segundo, não há a menor chance de se fazer “diretas já” sem a aprovação de uma PEC específica para tal. Esse rito levaria um tempo que algum desinformado diria em meses, mas a situação caótica que o PT nos deixou transforma meses em séculos. De sofrimento. Explico: não há tempo para se postergar as reformas. Ou as fazemos agora ou poderá ser tarde demais para fazê-las.

Quando vejo políticos, de cores variadas, dizendo que as reformas devem ser paralisadas, vejo-os como simples traidores da pátria. Essas reformas, com Temer ou sem Temer, deveriam ser votadas e aprovadas agora.

Mas esse pedido de “diretas já” nada tem de canônico ou inocente: está eivado do maior maucaratismo e oportunismo possível. Quando alguém falar oportunismo e maucaratismo sem citar o Luis Inácio Lula da Silva estará cometendo um grande engano.

Nesse momento, só há um nome capaz de ganhar uma eleição direta: Lula. Eleito presidente, não somente ganha a presidẽncia mas o salvo conduto para não ser processado por dezenas de crimes cometidos. Será que esse combalido Brasil merece isso?

Lula na presidência representa algo muito pior: a volta do projeto petista. O Brsail não tem saúde política, econômica e social para aguentar, de novo, esse bando.

Mas o que não presta pode piorar. Dia 18, pela manhã, na Jovem Pan, entrvista pelo professor Vila, o senado Ronaldo Caiado também defendeu o “diretas já”. Quase não acreditei e, rapidamente, entendi. O Caiado, médico conceituado, político sem marcas deletérias é, de fato, reserva política da direita.

Mas, nesse momento, se torna um Lula vestido de azul. Pensa só em si mesmo, sem dar bolas para o Brasil. Quer ser presidente, acredita que será presidente e concorda com os espúrios argumentos petistas. Atitude vergonhosa por uma simples razão: pensar como o PT é uma vergonha.

Você que me lê e você que me ouve pela Rádio Capital AM, 1180, aos domingos, das 7:30 ás 9:00, por favor não faça coro a essa “diretas já”. Respeitemos a constituição, única maneira do Brasil sair da crise

FAST NEWS 1: COMO É GOSTOSO SER DELATOR

Alguém haverá de explicar, no futuro, a história completa da delação premiada. Outro alguém, principalmente se for um idiota ideológico, dirá que a minha afirmação guarda alguma contrariedade com a Lava Jato. Nada disso.

A delação premiada tem sido efetiva na lavagem a limpo dos meandros políticos e empresariais do Brasil. Graças a Deus por isso. Mas a delação premiada tem sido a forma mais eficiente de dar imunidade e impunidade para bandidos.

Chega a ser vergonhoso o desfrute de mordomias desses nababos do crime. O último é de envergonhar ate quem não tem vergonha: os bandidos irmãos Batista e famílias, mais alguns aderentes, viverão livres, em solo americano, rindo de todos nós. E nós?

FAST NEWS 2: FIGURA ESTRANHA ESSE JANOT

Primeiro acho-o de uma chatice insuportável, segundo tem atitudes estranhas. Por exemplo, ele é célere com uns e inapetente com outros.

Eduardo Cunha é bandido? Sim. Devia estar preso? Também, sim. Renan Calheiros é santo? Não. Devia estar livre? Muito e muito mais, não.

O problema é outro. Com o Eduardo Cunha, seu Janot foi de uma rapidez de Airton Senna, o chefe criminoso está na cadeia e muitos anos lhe aguardam por lá. Já o Renan Calheiros possui mais de uma dezena de inquéritos e o único que tem o julgamento mais próximo se refere a uma pensão de um filho, que segundo alguns amigos advogados, que conhecem esse processo, está eivado de falhas e, por ele, Renan jamais será condenado.

Desconfio que os outros processos dormem sob a proteção de Janot e, quem sabe, em vez de prisão de um bandido, aguardam uma prescrição para a impunidade.

FAST NEWS 3: UMA TURMA ESPECIAL

Cumprimentos sinceros para a turma de pós-graduação em Audiologia, da Universidade CEUMA, da qual orgulhosamente faço parte, com um agradecimento especial para a professora Joyce Monte Silva Coelho, professora titular da graduação e pós-graduação da Universidade de Fortaleza, também fonoaudióloga das clínicas OTOS, MONTE SINAI e CENTRO DE OTORRINOLARINGOLOGIA.

Por mim e por meus colegas, obrigado professora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *