O NOME É SÓ MAMÃE

O NOME É SÓ MAMÃE

O nome dela era Zima Melo e Sousa Bentiví, mas para mim era só MAMÃE. Quando abri os olhos, já estava arrodeado de mulheres importantes: vovó Chiquinha, mãe de mamãe, mamãe, minha tia-avó Teresa, filha de minha bisavó Bonifácia, escrava da Lei do Ventre Livre, criada na Casa Grande da fazenda de Afonso Jansen, no Coroatá, porque era filha de uma preta com o feitor da fazenda.

Mas mamãe era a grande liderança, ainda que analfabeta. Pensou na frente de todos e por todos e sem ela, com certeza, eu não teria saído de minha Pedreiras e, seguramente, não estaria redigindo essa matéria para esse blog.

Felizmente para mim e para minha família, naquele tempo a família ainda não tinha sido mortalmente atingida por essa ideologia satânico-esquerdista que nos assola agora. Menino era menino, adulto era adulto, mais velho era mais velho, pai era pai e mãe era mãe. Sim, mãe era mãe.

Não quero com isso canonizar as mães e abstrair seus defeitos. Não. O que quero dizer é que sem essa pedra angular da família, ninguém se irá bem. Na Bíblia não há a instituição formal e cerimonial do casamento, mas está delineada, sem nenhuma dúvida, a unidade social e genética denominada família.

Caso houvesse dúvida, essas extinguem-se com o aparecimento da figura magistral, denominada Abraão: nele se abençoaram todas as famílias da terra.

Quando as ideologias adentram ao lar, usurpando a possibilidade do ensino e da disciplina, e autoridade de pais e mães é usurpada, ficando aos moldes de conselhos tutelares, algo de ruim está acontecendo e algo de pior haverá de acontecer. A Bíblia diz coisas fantásticas, que muitos, notadamente os esquerdopatas, teimam em não analisar e obedecer:

* Gn 3, 20: Chamou o homem a sua mulher Eva, porque era mãe de todos os viventes;

* Ex 20, 12: Honra teu pai e tua mãe para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá;

*Pv 6, 20: Filho meu, guarda os mandamentos de teu pai, e não deixes o ensino de tua mãe;

* Pv 10, 1: O filho sábio alegra a seu pai, mas o filho louco é a tristeza de sua mãe;

* Pv 15,20: O filho sábio alegra a seu pai, mas o homem insensato despreza a sua mãe;

* Mt 15, 4: Pois Deus ordenou: Honra teu pai e tua mãe, e quem maldisser aseu pai ou a sua mãe, certamente morrerá;

* Ef 6,2-4: Honra a teu pai e a tua mãe – que é o primeiro mandamento com promessa – para que te vás bem, e vivas muito tempo sobre a terra. E vós, pais, não provoqueis a ira de vossos filhos, mas criai-os na disciplina e instrução do senhor.

* Ef 5: 33: Assim, também vós, cada um em particular, ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a tua mulher, respeite a seu marido.

Finalmente, entendo que todas essas citações são fantásticas para pais e mães, mas a Bíblia, maravilhosa Bíblia premia as mulheres, as mães, com essa pérola poética e espiritual, escrita em Pv 31, 10-31. Leiam. É o epílogo da mulher virtuosa. Começa assim: Mulher virtuosa, quem a achara? Eu achei. Chama-se Jane Rose Cunha Bentiví.

FAST NEWS: A MÃE MAIS ESPECIAL

Não é a minha e nem poderia ser. Posso fazer um elenco de mães especiais, mas essa é a mais especial de todas. Quem afirmou isso não fui eu, foi o anjo Gabriel: Salve, agraciada! O Senhor é contigo. Bendita és tu entre as mulheres. Disse-lhe então o anjo: Maria, não temas, achaste graça diante de Deus. Conceberás e darás à luz um filho, e pôr-lhe-ás o nome de Jesus. (Lc 1, 28, 30 e 31).

O nome dela é Maria, conhecida como virgem Maria ou Maria Santíssima. Qualquer nominata lhe é perfeitamente cabível, porém tem sofrido, no decorrer dos tempos, exageros e ingratidões.

A Igreja Católica pecou pelo exagero. Em muitos momentos de sua história, o culto mariano sobrepujava ao culto cristão. Com a reforma de Lutero, quase numa reação doutrinária, Maria foi relegada a uma posição absolutamente secundária. Outro desastre contra a fé.

Em mais de 60 anos de fé evangélica, posso afirmar que nos cultos se fala mais em Judas Iscariotes que em Maria. De satanás nem se fala, pois tem culto que satanás pontua do começo ao fim. Maria não pode ser tratada como inimiga por uns e como salvadora por outros. As duas hipóteses não fazem bem para o cristianismo.

Duas historinhas para concluir.

Cantava no Coral da UFMA no grupo fundador. De repente aparece a primeira Ave Maria para o grupo: de Arcadelt. Nesse coral se reunia o que havia de melhor nos cantores de São Luís e uma parte era de evangélicos, com boa experiência coral.

Chego ao ensaio e sou chamado para uma severa reunião, cuja pauta era: S os crentes cantariam ou não a Ave Maria. Creio que Deus falou por mim. No momento de profunda discussão disse: alguém aqui irá para o inferno por cantar uma Ave Maria? Terminou o debate.

A segunda história ocorreu na minha penúltima viagem a Portugal. Um amigo meu, ministro evangélico, encontrava-se como missionário na cidade de Viseu e convidou-me a pregar em um culto. Como conheci e entendi a vitalidade católica da nação portuguesa, fiz uma pregação baseada em palavras textuais de Maria Santíssima, exatamente , em Jo 2,5: Sua mãe disse aos serventes: Fazei tudo o que ele vos disser.

Foi bom, tenho convites para pregar, de novo, em Portugal.

7 pensou em “O NOME É SÓ MAMÃE

  1. Eu o admiro como amigo e principalmente como filho
    Pois assistir muitas cenas de vc é Zimma minha amiga,sabia amiga.
    Mas o respeito e a bondade dia para com ela
    Declarava o ensino que teve e a educação que não se compra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *