EMOÇÕES DE UM SEXAGENÁRIO

Quando iniciamos esse projeto de comunicação envolvendo o BOLG joaobentivi.com.br, o PROGRAMA DE RÁDIO JANELA LIVRE NA CAPITAL, veiculado na Rádio Capital AM 1180, aos domingos, das 7:30 às 9,00, pensamos em ser múltiplos na abordagem. Nunca seremos monocórdicos, pisando ou repisando o mesmo assunto. Não. A multiplicidade de abordagens é surpreendente e mais múltipla que a própria vida do articulista. Isso faz um bem muito grande a ele. Nessa oportunidade, falarei em 3 assuntos distintos, mas todos com uma mesma característica: emoção e alegria.

A MORTE DE RAIMUNDO CLEMENTE

Sexta-feira e o zap denuncia: morreu Raimundo Clemente. No shopping, com minha linda mulher e um dos meus filhos, decidi ir ao velório. Convidei-os, já passava das 23 horas e a resposta foi unânime: estamos cansados e como ele era da Assembleia de Deus, o senhor não tem hora para voltar. Estavam certos. Não foram e fui.

A caminho, em minha cabeça passaram eternidades de pensamentos, incontáveis recordações e uma certeza: o quanto devo a essa organização chamada Assembleia de Deus.

A Assembleia de Deus entrou na minha vida, quando eu era somente um projeto, na pessoa de meu avô, Manoel Bentivi, morador em União-Piauí. Estamos chegando aos 100 anos de evangelização de uma família: família Bentivi. Nesse momento, porém, quero pensar somente na Assembleia de Deus de São Luís, que me recebeu aos 14 anos e, de cara, me entregou a regência do coral da segunda maior congregação, de então: o João Paulo. Mudou a minha vida.

O garoto camelô da feira do João Paulo, teve, na Assembleia de Deus, um ponto de reafirmação de sua cidadania. Era, naquele momento, o mais novo dos mais velhos e o mais velho dos mais novos. Deus me deu um grande presente chamado de Samuel Batista de Souza, hoje juiz de direito da capital.

Samuel, inteligente, tinha a experiência que me faltava e eu o arroubo e destemor que não lhe era próprio. Foi meu professor no Primeiro Curso de Jornalismo Prático do nosso jornal o EXPOSITOR EVANGÉLICO. Deu certo. Sou jornalista.

Um fato hoje se destaca e é vivenciado a cada momento que encontramos alguém dessa época, temos a certeza de que constituímos não um grupo de colegas, um grupo de amigos, mas, acima de tudo, uma família.

Assim, a cada momento que um daquele tempo é chamado para a viagem rumo a glória divina, temos a confirmação do tamanho do amor que nos une. A geração anterior a nossa está indo e um dia chegará a vez da nossa. Nada demais, é a marca indelével da criação divina.

Raimundo Clemente se foi e já foram tantos que não cabem nessa página e nem a minha imaginação dará conta: Estevam Angelo de Souza, Estevam Fonseca (bairro de Fátima), irmão Zé Rosa (Anil), Lázaro Costa (antigo regente do Templo Central), Mota (músico) Zé Mota (Vila Ivar Saldanha), professora Antonia Costa, irmão Nerine (vila Ivar Saldanha), irmã Zizi, Filomena Garcia, irmão Anacleto (Cohab), pastor Artur Nascimento, Heitor Pessoa de Souza, Pio, maestro Amaro Galvão, irmão Helvécio, irmão Raimundo (maestro da igreja do Anil)………..Raimundo Clemente.

No exemplo de Clemente incluo a todos os relembrados. Parece filme repetido. Em resumo vou descrever a situação de todos eles. Homens com orgulho e prazer de serem definidos como homens; casados conforme a determinação da Bíblia e maridos de uma só mulher e as mulheres, mulheres de um só homem; tiveram filhos e filhas e todos criados à luz da palavra de Deus; viram o sucesso de sua prole como o cumprimento da palavra, quando diz: crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa (Atos 16:31).

Raimundo Clemente teve mais que uma dezena de filhos e foi-me impossível conhecê-los a todos, porque a constituição dessa prole se deu ao longo de muito tempo. Viu netos e bisnetos, todos recebendo essa maravilhosa palavra de Deus. Não transigia com o erro, imperfeito como qualquer homem, mas vigilante ao extremo com a obra de Deus, buscava a perfeição, como diz a Bíblia, perseguia a conquista daquilo que chamamos da busca do varão perfeito.

A Igreja Assembleia de Deus deve muito a esse verdadeiro ministro, que não necessitou de nenhum título pastoral para desenvolver uma obra imorredoura para a Igreja do Senhor.

A nós, basta agradecer a Deus por termos nos formado nessa escola divina, chamada Assembleia de Deus, de termos aprendido com tantos pioneiros como Clemente e de estarmos criando nossos filhos dentro do mesmo padrão de fé.

Só nos resta, então, afirmar: ora, vem Senhor Jesus.

APAE DO PAÇO

Ontem estive no Paço, especificamente no Maiobão, fazendo a avaliação em otorrinolaringologia dos nossos meninos. Mais uma experiência gratificante. Ver aquela alegria, prazer nos olhos daquela gente humilde, é o maior e melhor de todos os honorários que um médico pode receber.

Uma cena marcou. Uma mãe, senhora de pouca estatura, magra, muito magra, carregando um garoto com problema cerebral, com quase o peso de sua mãe. Ganhou uma cadeira de rodas. Gostaria que cada um dos leitores e ouvintes presenciassem a cena. Foi a cadeira de rodas mais importante que vi em toda a minha vida.

A manhã, na APAE do Paço, foi demais. Além de mim, estava toda equipe e aproveito para abraçá-los a todos, na pessoa do meu colega, psiquiatra/neurologista, João Muniz, exemplo de doação e dedicação para a causa dos mais necessitados.

O prefeito Domingos Dutra tem, com a APAE do Paço, somente uma obrigação: ajudá-la. Com isso estará ajudando o seu povo, notadamente os mais carentes e necessitados.

SARAU DE ATHENAS

Parecia impossível, mas a noite de sábado foi demais. Considerando que a minha manhã, na APAE do Paço, foi o paraíso, a minha noite, no ESPAÇO AMEI – LIVRARIA DO AUTOR MARANHENSE, Shopping São Luís, foi o nirvana. Indescritível.

A ACADEMIA ATHENIENSE DE LETRAS E ARTES realizou o 17º SARAU DE ATHENAS. Esses saraus são encontro poético, literários, artísticos e musicais relizados em qualquer lugar, basta convidar e, dessa feita, foi no ESPAÇO AMEI.

Foi um sarau contagiante, pois tivemos a posse de dois novos imortais. O músico, escritor e poeta Luiz Régis Furtado e o artista plástico, principal escultor maranhense da atualidade, José Eduardo Sereno. Tivemos declamações de poesias, contagem de causos e muita música, além de um lauto coquetel.

Agradecimento especial para a participação dos IMORTAIS ATHENIENSES Zefinha Bentivi, José Raimundo Gonçalves e José Maria Nascimento.

Muitos perderam essa festa. Não tem nais jeito, ela não volta mais. Entretanto incito-os a não desidiar como futuro: teremos muitos e muitos SARAUS DE ATHENAS. Todo último sábado de cada mês, teremos a edição de um novo sarau. Está marcada a edição do 18º SARAU DE ATHENAS: 26.08.17. Asseguro que será imperdível

3 pensou em “EMOÇÕES DE UM SEXAGENÁRIO

  1. Bela homenagem ao nosso estimado e agora saudoso amigo, Clemente!
    Obrigado pela referência ao nome de meu pai, Samuel Souza.
    Grande abraço, meu tio, do coração!
    MarcoSouza

  2. Umas das coisas imutáveis é o passado, é a história. Tua família é a melhor síntese da história das Assembleias de Deus. Deus foi sempre louvado em tua família

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *