BANDIDO UNIDO É DIFÍCIL SER VENCIDO.

BANDIDO UNIDO É DIFÍCIL SER VENCIDO.

João Melo e Sousa Bentivi *

Espírito corporativo é natural no mundo, mas quando se trata de bandidos é mais evidente, visto que ao não terem limites éticos, a corporação bandida se torna mais monolítica e quem se insurgir contra tem chance de se dar mal. É esse o calcanhar de Aquiles do presidente Bolsonaro.

Tudo se iniciou pela origem, quando, no dizer de Roberto Jeferson, Bolsonaro passou 28 anos no tal Congresso, sem uma única acusação de corrupção. Em uma casa em que centenas estão às portas do cárcere (alguns dentro), o ser Bolsonaro foi um extraterrestre. Continua sendo.

Ganhou a eleição impossível e, ao fazer o seu ministério, rompeu com uma prática espúria chamada coalizão, prática corruptiva inaugurada pelo Sarney e exacerbada nos bandidos esquerdopatas, chefiados por Lula. Bolsonaro, excetuando um Mandetta qualquer da vida, fez um ministério sem conchavos. Assim, quando vejo um desses bandalhas da esquerda querendo vilipendiar o ministério do Bolsonaro, tenho a convicção de que os canalhas têm opinião.

A partir daí, a corja de sempre procurou comparsas algures e alhures e passaram a armar contra Bolsonaro, dizendo melhor, contra a pátria. Todas as importantes medidas aprovadas, ainda que torpedeadas, até por esse nojo, chamado STF, só o foram pela pressão popular, inclusive inviabilizaram várias, como o 13º salário, do Bolsa-Família, por pura provocação e perseguição ao Bolsonaro. O diabo é que a perseguição contra Bolsonaro significa sacanagem com o povo.

De repente, o demônio socorreu os vagabundos e esse demônio tem nome: corona. Nada melhor para um ladrão, um marginal, que um bom disfarce e não há nenhum disfarce mais perfeito que a DEFESA DA VIDA. É muito fácil um marginal que desvia verbas públicas, remédios de UPAS, merenda escolar, agora, na pandemia, falar palavras contritas e hipócritas. Tudo que Bolsonaro não aprendeu.

Brandindo a bandeira DEFESA DA VIDA estão arrancando milhões, praticamente a fundo perdido, para gastar sem licitações: é o caixa 2 da campanha eleitoral que se aproxima.

A Justiça faz a festa do comandita, destruindo as poucas amarras de segurança e deixando sem obstáculos o caminho da corja. É a festa da corrupção, a comemoração da marginalidade e tudo embaixo do enxoval da DEFESA DA VIDA.

Como os cultos e reuniões religiosas estão suspensos, nem precisam disfarçar e entrar em uma igreja, até faz bem, o templo não é um local apropriado para esses seguidores do capeta.

Enquanto isso, o apetite desses marginais não cessa, estão urdindo, às caladas da noite, o impedimento do presidente legitimamente eleito e como não podem colocá-lo naquele grupo de bandidos capitaneados por Lula, usam argumentos  estapafúrdios como: Bolsonaro desobedeceu às recomendações da OMS.

Crie vergonha cara-pálida, não aceitar recomendação dessa organização a serviço da China, nunca foi delito e jamais crime de responsabilidade. Caso queiram voltar ao poder, posso dar um conselho e não cobrarei nada.

Como a esquerda tem todos os seus principais nomes relacionados com a cadeia, tentem fabricar um esquerdista honesto, cristão e inteligente para concorrer em 22. Isso não é fácil, em condições normais, porém impossível se o sujeito for um verdadeiro esquerdopata. Nesse caso, do esquerdopata, faltará sempre uma dessas três qualidades: honesto, cristão e inteligente.

Tenho dito.

  • Médico otorrinolaringologista, legista, jornalista, advogado, professor universitário, músico, poeta, escritor e doutor em Administração, pela Universidade Fernando Pessoa, Porto, Portugal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *