CONSOLAI-VOS (I Tes 4: 18)

CONSOLAI-VOS (I Tes 4:18)

João Melo e Sousa Bentivi

Esse texto paulino, junto com I Cor 15, trata do assunto mais importante do cristianismo: a ressurreição. E nada mais significativo, nesse contexto, que a Páscoa, festa judaica, oriunda dos tempos do Egito, mas que com Cristo assume a perfeita proeminência. O cordeiro Pascal que, no Egito, livrava os primogênitos da morte, em Cristo livra toda a humanidade.

As religiões, em regra, tratam da espiritualidade e o pensamento grego era dualístico em essência: alma e corpo e, por isso, os primeiros cristãos, muitos gregos, tinham dificuldade em entender essa coisa denominada ressurreição, daí, São Paulo teve que pôr as coisas nos seus devidos lugares.

“Pois se os mortos não são ressuscitados, também Cristo não foi ressuscitado. E, se Cristo não foi ressuscitado, é vã a vossa fé, e permaneceis em vossos pecados. E também os que dormiram em Cristo estão perdidos”. (I Cor 15: 16-18).

Vivemos um momento em que pensamos mais na morte que na vida, de tal forma que abstraímos, do raciocínio lógico que, de todos os acometidos pela pandemia, se salvaram muito mais do que aqueles que morreram. A cada dia, a oração maior é: Senhor me livra do covid 19.

Não quero falar como médico, mas simplesmente como cristão e um cristão do grupo de risco. Não conheço, na terra, nenhum lugar estéril que me proteja de microrganismos e a única certeza é que medidas e posturas posso tê-las, para diminuir as chances de contaminação. Só.

Como cristão, jamais posso me divorciar da dimensão da fé, que nunca significou eternidade terrena. Hebreus 11: 1: “Ora, a fé é a certeza das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se veem”. Também não significa que tomarei atitudes provocativas e não inteligentes em nome da fé, pois o próprio Jesus, filho de Deus, afirmou: “Não tentarás o Senhor, teu Deus” (Lc 4: 12).

E o que fazer, que atitude tomar, nesses tempos de corona? Sou muito tolo para dar essa resposta e desconfio que muitos carregam essa mesma tolice minha, porém, na minha Bíblia, palavra do Senhor, encontro sempre os caminhos, ou melhor, O CAMINHO.

“Confessai as vossas culpas uns aos outros, orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos”. (Tiago 5: 16)

Quando tudo se tornar impossível, São Paulo aponta: “Combati o bom combate, acabei a carreira e guardei a fé. Desde agora, a coroa de justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda”. (II Tm 4: 7-8)

Finalmente, em qualquer que seja a circunstância, agradável ou não, sigamos com a recomendação explícita no título dessa conversa: “Portanto, consolai-vos uns aos outros com essas palavras”. (I Tes 4:18).

Tenho dito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *