UM MANDETTA POR UM TOSTÃO.

UM MANDETTA POR UM TOSTÃO

João Melo e Sousa Bentivi *

O problema é saber se vale. O ministro Mandetta recebeu um honroso convite para ser ministro e, dentre as características de qualquer auxiliar correto está a fidelidade para com aquele que o convidou e isso não quer dizer  que a fidelidade signifique abstrair as convicções, mas, caso queira divergir publicamente, com o seu superior, antes que o faça, peça pra sair. Não pediu.

Alguém dirá: por que Bolsonaro não o demite? Antes de responder farei outras considerações. Desde que a turma da bandalha viu que Bolsonaro era a favor do isolamento vertical, passou a incensar Mandetta e o também cientificamente   questionado isolamento horizontal. O ministro entendeu tudo muito bem e começou a jogar o jogo. Da sacanagem!

A partir daí formou-se a corrente diabólica e vejam que a favor do Mandetta está Rede Globo, Estadão, Veja, Rodrigo Maia, Alcolumbre, ministros do STF, João Dória, Wytzel, Caiado, Dylma, Gleyce e Lula, entre outros de tão desprezível quilate. Alguém perguntaria: está faltando algum nome: Respondo, sim, o diabo.

O sonho de Maia é Bolsonaro transformar Mandetta em vítima e, talvez, com isso, fabricar uma nova liderança. Aliás, já tem emprego garantido com Caiado.

Creio que Bolsonaro não lerá esse escriba, mas, se me lesse, lhe daria esse conselho: não demita Mandetta, deixe Mandetta, suporte Mandetta! Nomeie uma comissão, no Ministério da Saúde, específica para o corona e coloque o Osmar como coordenador.  Depois de algum tempo, sem nenhum trauma, alguém, quem sabe Maia, Caiado ou Dória, amigos de Mandetta, dirá: Mandetta, pede para ir para aquela salinha de reflexões e sai.

Como todos sabem, até para fazer cagadas, necessárias são as reflexões.

  • Médico otorrinolaringologista, legista, jornalista, advogado, professor universitário, músico, poeta, escritor e doutor em Administração, pela Universidade Fernando Pessoa, Porto, Portugal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *